05 de fevereiro de 2020

SPOILERS COMPLETOS DE OUTER WILDS. NAO LEIA SE NAO TIVER JOGADO. O JOGO EH MUITO BOM EU JURO


análise dos mistérios de outer wilds

faz algum tempo que eu penso sobre jogos de exploração, e sobre o que significa exploração em jogos. uma das experiências recentes que me deu bastante o que pensar foi outer wilds. como outer wilds faz exploração? por que outer wilds é tão bom?

o que segue é uma tentativa de entender como outer wilds estrutura seus mistérios, através da análise de cada um deles.

conceitos básicos

eu uso algumas ideias já estabelecidas em anotações sobre exploração e magia, em particular: a ideia de exploração motivada por curiosidade, as diferentes formas de incitar perguntas no jogador (weenies, lendas de terras distantes etc) e a ideia de direcionamento (a jogadora deve saber como atuar em cima da sua curiosidade).

além disso, eu também pego emprestado o termo "Curiosidade" (com C maiúsculo) que Alex Beachum usa em Outer Wilds: A Game of Curiosity-Driven Space Exploration. Beachum chama de Curiosity os 4 lugares super-secretos que a jogadora deve alcançar para desvendar a história do jogo. esses são:

  1. Lua Quântica;
  2. Coordenadas do Olho do Universo (núcleo das Profundezas do Gigante);
  3. O Hospedeiro;
  4. Projeto do Gêmeo Cinzento (interior do Gêmeo Cinzento).

por fim, eu chamo de requisitos os lugares nos quais a jogadora aprende as informações que a ajudam a chegar nas Curiosidades, e chamo de menções os lugares que não ajudam diretamente a jogadora, mas mencionam algum local e direcionam a jogadora para um requisito ou para uma Curiosidade.

as Curiosidades

no. 1: Lua Quântica

cADE A CORNA

no. 2: Coordenadas do Olho do Universo

mamae o furacao mim da medo X_X

no. 3: O Hospedeiro

"e se fizéssemos as lost woods de zelda, mas com *mais* névoa?"

no. 4: Projeto do Gêmeo Cinzento

the big boi

conclusão

conexões

tendo analisado cada uma das quatro Curiosidades, podemos nos perguntar: como elas se conectam? a resposta é: elas não se conectam. ou melhor, não mecanicamente. um local que é essencial pra uma Curiosidade não é relevante pra nenhuma outra. nesse sentido, elas são isoladas.

as conexões que existem estão em outro plano: o da lore. o que conecta as Curiosidades é o papel que elas desempenham na história dos nomai: a Lua Quântica (no. 1) é a lua do Olho do Universo, que é o objeto que os atraiu para este Sistema Solar no Hospedeiro (no. 3). pra chegar no Olho, eles criaram o Projeto do Gêmeo Cinzento (no. 4), do qual o Canhão Gravitacional (no. 2) faz parte.

um outro plano no qual as 4 Curiosidades se conectam é o fim do jogo: você pega o núcleo de translocação do Projeto do Gêmeo Cinzento (um item) e o leva para o Hospedeiro (um lugar), botando as coordenadas do olho do universo (uma informação). com isso, você zera o jogo (e a Lua Quântica fica de fora, admitidamente).

é satisfatório pra caramba, e não me incomodou nem um pouco as conexões não serem mais profundas. o fato da jornada para encontrar as Curiosidades estar espalhada por todos os planetas (ao invés de cada Curiosidade requisitar visitas a apenas um planeta) já está de bom tamanho.

princípios

fim

tl;dr: "deixe o jogador curioso sobre algo. pense: se ele ficar curioso, o que ele vai fazer? com quem vai falar, onde vai? e então ponha no meio desse 'caminho provável' os direcionamentos para que ele satisfaça sua curiosidade. seja direto. caso seja sutil, ponha neste caminho uma dica direta de como sua 'dica sutil' se encaixa no resto".

isso é fácil? não. só fazer isso significa que seu jogo vai ser bom? claro que não. mas pelo menos ele vai ter a mesma estrutura de Outer Wilds™!