24 de janeiro de 2021

o fangame que consertou pokémon

pokémon foi muito importante na minha vida. eu era uma daquelas crianças que assistia religiosamente ao desenho animado, ficava horas jogando e re-jogando pokémon crystal, e passava o resto do tempo inventando os meus próprios pokémons. foi em comunidades online de pokémon que eu fiz amizades virtuais que duram até hoje.

apesar disso, faz bastante tempo que eu não tenho interesse em jogar nenhum jogo da série principal de pokémon. os últimos que eu joguei foram anos atrás, e foram tão chatos que fizeram eu me perguntar: pokémon já foi bom?

"pokémon secrets" mostra que sim.

existem zilhões de fangames de pokémon, provavelmente mais do que de qualquer outra franquia. porém, chamar "pokémon secrets" de um fangame é deceptivo: o jogo não é simplesmente uma reskin dos jogos originais com adaptações quality-of-life ou coisa do tipo. "pokémon secrets" é uma reimaginação completa do que significa ser um jogo de pokémon.

o slogan da série pokémon é "gotta catch'em all!", mas os jogos parecem ter se esquecido disso. apesar da mecânica de captura ainda estar presente, a sua importância é discutível: o objetivo principal é sempre uma quest linear que envolve derrotar todos os ginásios, e o jogador passa a maior parte do tempo dentro dos combates resolvendo puzzles de pedra-papel-tesoura. claramente a profundidade do jogo não está na exploração ou na descoberta de novos pokémons, mas nos zilhões de sistemas por trás do combate: abilities, natures, EV, IV, sei lá mais o quê.

o objetivo de "pokémon secrets" também é capturar todos os pokémons... mas o jogo leva isso a sério. você passa a maior parte do tempo não em combate, mas andando pelo overworld tentando encontrar pokémons novos pra adicionar à sua coleção. encontrar um pokémon novo é difícil e frequentemente requer que você execute uma série de ações específicas, cuja natureza você deve deduzir a partir de rumores: pistas espalhadas pelo ambiente (pegadas, rastros, etc), diálogos com outros personagens, e até mesmo a estação de rádio do professor carvalho (que também existia na 2ª geração). pra progredir no jogo, é preciso habitar aquele mundo e resolver puzzles que testam o seu conhecimento sobre a geografia do mundo e sobre os pokémons em si.

alguns exemplos. pra capturar um metapod, é preciso encher um caterpie de berries e ficar com ele perto de uma árvore durante algum tempo, até que ele se sinta confortável e evolua. pra capturar um magikarp, é preciso jogar algum objeto no lago pra fazê-lo saltar à superfície, e em seguida arremessar uma pokébola no momento certo para capturá-lo no ar. pra capturar um mankey você precisa atrair as beedrills de uma certa seção da floresta pra assustá-lo e tirá-lo da árvore.

é como se fosse o mistério dos unowns em G/S/C, o slowbro em pokémon snap, e o processo convoluto de captura dos Regis em R/S/E... só que o tempo todo.

apesar desse não ser o foco, o jogo tem "combate". cada pokémon tem movimentos que você pode executar em tempo real num menu meio roguelike, como se fossem os golpes de mystery dungeon ou as skills em "caves of qud" ou "tales of maj'eyal". muitos dos movimentos não são úteis (tail whip, growl), mas alguns interagem com o mundo de forma significativa: "string shot" permite você prender pokémons pequenos e se aproximar deles para capturá-los, e "ember" literalmente põe fogo nas coisas (eu *acho* que esse jogo tem um sistema de elementos à la BotW??). o jogo não sinaliza muito bem qual a utilidade de cada movimento, e acho que faz parte do apelo: o espaço de possibilidades é tão grande que te força a pensar antes de fazer alguma coisa (ao invés de usar força bruta), e torna ainda mais recompensador quando você consegue fazer algo bem-sucedido.

infelizmente, esse também é um dos downsides do jogo: o espaço de possibilidades é tão grande que certas coisas parece que deveriam funcionar, mas não funcionam porque os desenvolvedores provavelmente não pensaram naquilo. isso significa que às vezes você elabora uma estratégia intuitiva pra resolver um problema (p. ex.: usar o growl pra afugentar um mankey que está bloqueando seu caminho), mas a estratégia não funciona e o jogo não te dá um feedback claro do motivo. normalmente existe algum feedback, passado via uma caixinha de texto no lado direito da tela ("o mankey não foi intimidado!"), mas às vezes ainda parece que o seu objetivo é ler a mente do designer e descobrir o que ele estava pensando quando elaborou a solução pro puzzle. me lembra um pouco de adventure games antigos, e fere bastante a imersão.

fora isso, a minha maior crítica a "pokémon secrets" é que o jogo é bem curto. ele funciona menos como uma experiência completa dentro de si mesma e mais como uma janela pra um universo em que pokémon é bom de verdade. de fato, acredito que o jogo não esteja completo: a versão que joguei estava marcada como "0.0.1", então acho que vai ter mais sim. o problema é que essa versão foi lançada há 3 anos atrás e eu não consigo de forma alguma encontrar alguma versão mais recente... então acho que os desenvolvedores infelizmente largaram o jogo.

ah, e só pra deixar registrado, eu achei a história do jogo bem engraçada. é comum pra hackROMs fazerem piadas com a fórmula de pokémon ("hahaha, a sua mãe está transando com o professor caralho!" etc), mas as piadas de "secrets" são mais... comicamente desconfortáveis? por exemplo: tem uma escada na cidade cuja passagem está bloqueada por uma pedra, na qual está escrito "crianças não podem passar!". no início do jogo, achei que era só uma brincadeira boba pra te impedir de entrar em uma área do jogo que ainda estava em desenvolvimento, mas em um certo momento você captura um pokémon que aparentemente consegue destruir pedras, então naturalmente eu tentei destruir a pedra da escadaria com ele... e não só eu consegui, como IMEDIATAMENTE depois de destruir a pedra TODOS os NPCs da cidade começaram a bater palmas e chorar de forma exagerada, a minha mãe disse que estava muito orgulhosa de mim por ter "crescido tão rápido" e o prefeito me deu uma chave da cidade (que eu não sei o que faz??). foi tudo tão estranho que eu não sabia se era uma piada ou um plot point crucial. o jogo tem alguns outros momentos assim, me lembrou um pouco das cenas desconfortáveis em twin peaks.

enfim, eu definitivamente recomendo "pokémon secrets"!!


links relacionados:
Comentários