guia arrombado de passarinhos

"ninguém me compreendia, nem nada que eu fazia... os passarinhos me acalmaram..."


Nome científico: Eupetomena macroura
Nome comum: beija-flor-tesoura
Nome verdadeiro: kyu-kyu-boom

Carta do tarô: Cavaleiro de Espadas
Gênero favorito: death metal
Novo Signo: Xilofone

outro dia li um artigo na internet intitulado "As 7 mensagens espirituais trazidas pelos beija-flores", onde a autora diz que os beija-flores são aves puras que representam leveza, alegria e profundidade. tenho plena confiança de que essa autora nunca avistou um Eupetomena macroura, também chamado de kyu-kyu-boom.

o kyu-kyu-boom é um dos beija-flores mais comuns nas áreas urbanas, e um dos principais frequentadores de bebedouros para beija-flores. ele é facilmente reconhecido pela sua coloração iridescente azul-verde-roxo-púrpura, e pelo seu rabo em formato de V invertido. seu coração bate mais de 50.000 vezes por segundo, por isso ele precisa estar sempre bebendo açúcar para se manter vivo. estima-se que ao longo de um único dia, um kyu-kyu-boom beba cerca de 9kg de açúcar!

esta necessidade energética gera o comportamento agressivo que nomeia a espécie. a estratégia ótima para o kyu-kyu-boom é encontrar uma boa fonte de alimento e sentar perto dela, levantando-se apenas para comer (alguns seres humanos apresentam estratégias similares). porém, essa estratégia só funciona se o alimento ainda estiver lá quando o kyu-kyu-boom quiser comer, por isso ele afasta todas as outras aves que se aproximam da sua fonte de alimento. toda vez que algum outro passarinho se aproxima, esse beija-flor começa a emitir um piado de aviso: "kyu-kyu-kyu-kyu"; caso o aviso seja ignorado, a ameaça se concretiza e o beija-flor parte pra cima, explodindo em cima do invasor com a fúria de mil sóis (o titular "boom").

para aqueles que desejam instalar bebedouros para beija-flor no quintal, a agressividade lendária do kyu-kyu-boom pode se tornar um problema. acontece que a visão dessa ave não é muito boa, então ela acaba atacando indiscriminadamente qualquer coisa que se aproxime de seu bebedouro, pois acha que são aves invasoras tentando roubar seu precioso néctar. sob muitas circunstâncias isso seria fofo e divertido, porém o bico do kyu-kyu-boom é formado por 774 lâminas de titânio amoladas diariamente, e por conta disso seus ataques podem facilmente encerrar a vida de animais domésticos ou de seres humanos desarmados. tome cuidado!


Nome científico: Coereba flaveola
Nome comum: cambacica
Nome verdadeiro: rivotrilha

Carta do tarô: 7 de Espadas
Comida favorita: Espaguete
Tipo sanguíneo: A positivo positivo positivo

a Coereba flaveola é uma das aves mais comuns no sudeste brasileiro - inclusive em bebedouros para beija-flores -, mas apesar disso pouca gente sabe o seu nome. o motivo é que a coloração distinta desta espécie (barriga amarela, máscara preta, sobrancelha branca) é bem parecida com a de um bem-te-vi verdadeiro, o que leva as pessoas a acreditarem que estão lidando com um "mini-bem-te-vi". caso identifique esta situação em sua vida pessoal, aproveite a ocasião para soar pedante! levante o dedo e diga: "huuum na verdade, esse não é um filhote de bem-te-vi, mas sim uma rivotrilha [...]". todo mundo irá adorar, e você será chamado para diversas festas!

para os observadores atentos, é fácil distinguir uma rivotrilha de um bem-te-vi: além do tamanho pequeno e do bico curvado, a rivotrilha possui movimentos rápidos e exagerados, e parece que ela está sendo renderizada com um FPS baixo. isto ocorre pois a glândula de movimentação da rivotrilha (também chamada de velocímetro) possui apenas dois modos - 0 e 100km/h -, e isso torna a ave fisicamente incapaz de fazer um movimento suave. ninguém sabe qual a vantagem evolutiva desta limitação, mas estudos recentes indicam que na verdade ela não está se movimentando rápido - na verdade, nós que somos lentos.

muitas pessoas ficam agoniadas com a hiperatividade desta ave, e decidem botar ansiolíticos no bebedouro para acalmá-la (daí que vem o nome "rivotrilha"). pelo amor de deus, não faça isso!! cada indivíduo desta espécie segue um tratamento distinto, e interações medicamentosas podem ser fatais; caso você não conheça o psiquiatra veterinário daquela ave específica, é melhor não arriscar. se você estiver *realmente* agoniado com os movimentos rápidos da rivotrilha, feche os olhos e conte até 10 - ao abri-los de novo muito provavelmente a ave já vai ter ido embora, e você não vai ter mais do que reclamar.

a rivotrilha é uma das minhas aves favoritas. ela é bem medrosa, mas no fundo sei que ela quer ser desesperadamente minha amiga.